Costa Tropicale
Costa Tropicale

Por onde anda o Costa Tropicale?

O Costa Tropicale, navio bem conhecido e querido pelos cruzeiristas brasileiros, fez temporadas pelo país até 2005, quando despediu-se oficialmente da região.

E agora, por onde anda o Tropicale? Será que ele ainda existe ou virou sucata?

Bora saber!

 

No Brasil

Logo após ser transferido da Carnival Cruise Line para a Costa Cruzeiros em julho de 2001, estreou em terras brasileiras na temporada desse mesmo ano – 2001/2002.

Com roteiros regulares tanto para o Nordeste do país quanto para a região da Prata (Argentina e Uruguai), esteve  por aqui entre os anos de 2001 e 2005, quando foi embora de vez (com esse nome).

A necessidade de um navio maior e mais moderno, como o Costa Victoria, somada à intensa procura por cruzeiros no Brasil, fez com que a substituição do Costa Tropicale fosse inevitável.

Na temporada 2011/2012, com o nome de Ocean Dream, da companhia espanhola Pullmantur Cruceros, retornou ao Brasil, sendo o único navio a fazer roteiros exclusivos pelo Nordeste, visitando Fernando de Noronha.

Costa Tropicale
Costa Tropicale – Imagem: Piet Sinke

 

Deck da piscina
Área externa – Imagem: Costa Cruzeiros

 

Bar e Teatro
The Duke Bar / Tropicana Show Room – Imagem: Costa Cruzeiros

 

Restaurante e Bar
Corallo Restaurant / Bahia Club – Imagem: Costa Cruzeiros

 

História

Construído em 1981 pelo estaleiro dinamarquês Aalborg Vaerft AS, foi encomendado para a companhia Carnival Cruise Line.

Batizado originalmente como Tropicale, a partir de 1982 realizou viagens frequentes para o Caribe.

Em 2001, o Tropicale foi vendido para a Costa Cruzeiros (empresa do mesmo grupo da Carnival Cruise Line – a Carnival Corporation & PLC), iniciando assim, após diversas reformas, seus roteiros pelo Brasil e Europa, já renomeado para Costa Tropicale.

No ano de 2005, o Tropicale foi vendido para mais uma empresa do grupo Carnival, a P&O Cruises Australia.

Reformado e renomeado como Pacific Star, com embarques em portos australianos, seus cruzeiros tinham como destino a própria Austrália, Oceania e Ásia.

Em 2008, o navio foi vendido mais uma vez. Seu destino foi a companhia espanhola Pullmantur Cruceros (joint-venture da Royal Caribbean Group).

Rebatizado como Ocean Dream, operou cruzeiros pela Europa e Américas. Esteve no Brasil em 2011/2012 para realização de viagens pelo Nordeste do país, com visitação à Ilha de Fernando de Noronha.

Deixou a frota da Pullmantur logo em seguida.

Fretado em 2012 pela companhia japonesa “sem fins lucrativos” Peace Boat Organization, realizou cruzeiros pelo mundo com objetivos de conscientização ambiental e cultural.

Em setembro de 2020, a Peace Boat anunciou a substituição de seus 2 navios, o Ocean Dream e o recém adquirido Zenith, por um navio maior e mais moderno (o atual Sun Princess, da companhia Princess Cruises).

Até o momento, o futuro destino do Ocean Dream é incerto.

Curiosidade: O Tropicale foi o primeiro navio encomendado pela Carnival Cruise Line a ter a tradicional chaminé “whale tail” (cauda de baleia), usada até hoje como característica da companhia norte-americana.

Ficha técnica – Ocean Dream

  • Companhia: Peace Boat
  • Classe: —
  • Ano de construção: 1981
  • Última reforma: 2017
  • Comprimento: 205 metros
  • Largura: 26 metros
  • Velocidade: 21 nós
  • Peso: 36.674 toneladas brutas
  • Passageiros: 1.422(ocupação máxima)
  • Tripulação: 550
  • Decks: 10
Ocean Dream
Ocean Dream – Imagem: wikipedia.org

 

Em uma época onde os meganavios, como os que vemos atualmente, ainda não existiam, lá no início dos anos 2000, o Costa Tropicale foi um sucesso não só para os brasileiros quanto para os passageiros do mundo todo.

Embora ainda possamos encontrá-lo “cruzeirando” por aí, marcou uma época tão importante para que a paixão brasileira pelas viagens de navio se tornasse tão intensa quanto é hoje.

 

Atualização (janeiro/2021)

Devido aos efeitos da pandemia COVID-19 sobre os cruzeiros, e sua substituição da Peace Boat, o Ocean Dream foi vendido para sucata.

Em 31 de dezembro de 2020, encalhou em Alang / Índia para desmanche.

 

*Foto em destaque: dreamblog.it


Saiba por onde anda o clássico MSC Melody, clicando aqui.

8 comentários

  1. Amo navegar!!
    Naveguei com Horizon , Zenith, Soberano!!!
    Todos empresa.Pullmantour!!
    Depois vieram outros. Música, Preziosa, Poesia, SEAVIEW. Todos MSC.
    Vision Of The Sead.
    Splendour Of Te Seas.
    Royal Caribbeen.
    Todos Maravilhosos!!

    .

  2. Meu primeiro contrato como camareiro nesse barquinho. Rota maravilhosa no nordeste incluindo noronha e depois o crossing de 41 dias para entrega lo a peace boat no Japão. Muitas saudades e esse barco ficara marcado na minha vida.

  3. Olá, Edu, e parabéns pela bonita matéria! Fiz meu primeiro cruzeiro lá por 2004, justamente no Costa Tropicale. Foi um minicruzeiro incluindo Santos, Búzios e Rio de Janeiro. Inesquecível! Estava contemplando a requintada caneca em cobalto e ouro que adquiri como lembrança do navio e fiquei curioso em relação ao seu destino. Assim encontrei a sua matéria. Grande abraço!

    1. Olá Wieland.
      Tudo bem?
      Caramba, que legal sua história. Em 2004 os cruzeiros estavam “crescendo” muito aqui pelo Brasil e, sem dúvidas, o Costa Tropicale fez parte desse crescimento.
      Tenho certeza que vc deve ter se divertido muito a bordo do navio.
      Obrigado pelo seu feedback e seja sempre bem-vindo aqui pelo blog.
      Forte abraço

  4. Fiquei muito triste com essa notícia. Foi meu primeiro navio, fizemos um cruzeiro longo de Natal e Ano Novo para o Sul. Sensacional e fizemos muitos amigos. Agora que li a matéria que me liguei que navegamos nele novamente para Noronha em 2011! Que sensacional. Deixará saudades. Agora já deve ter virado varas de metal. Por sinal, pesquisem sobre os desmaches de navios, é extremamente triste. Esse desmanche indiano onde o Tropicale “morreu” é o maior do mundo e terrivelmente perigoso.

    1. Olá Priscila.
      Seja bem-vinda ao Blog.
      Quantas saudades esse navio deixou em você, né? Coincidência você cruzeirar nele como Tropicale e posteriormente como Ocean Dream.
      É triste vê-lo sendo desmanchado nos estaleiros por aí. A crise causada pela pandemia já deixou muitos cruzeiros “mortos”, tanto em Alang/Índia, quanto em Aliaga/Turquia – tenho uma postagem que fala sobre isso.
      Obrigado pelo feedback e continue nos acompanhando.
      Abraços
      Edu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.